• Brasil
  • Ingles
  • Espanhol

Taxa Selic e o mercado imobiliário: o que muda depois do aumento?

Taxa Selic e o mercado imobiliário: o que muda depois do aumento?

18/03/2021 - Notícias de Mercado

 

 

Esta semana foi histórica para a economia brasileira, em razão do aumento da Taxa Selic após cerca de 6 anos. A ampliação já era prevista por diversos economistas, que alertavam para o crescimento dos números relacionados à taxa, desde o último ano.

 

Mas, você sabe o que ela é? A Taxa Selic é chamada de taxa básica de juros da economia brasileira, pois é ela a responsável por basear todas as outras taxas de juros exercidas no país. Por essa razão, o recente aumento da taxa básica de juros brasileira irá impactar diretamente o poder de compra e de investimento de cada cidadão. 

 

Nesse sentido, como fica a Taxa Selic e o mercado imobiliário? No último ano, o setor apresentou um grande crescimento, justificado pela facilidade de crédito. Porém, como será até o final de 2021? A taxa básica irá aumentar mais?

 

Continue a leitura do artigo e saiba mais.

O que é a Taxa Selic?

Como você já sabe, a Taxa Selic é a taxa básica de juros do país. Através dela, todas as taxas de juros das demais instituições financeiras se baseiam, fazendo com que a Taxa Selic seja a taxa mais importante em território nacional.

 

Apesar de grande parte dos brasileiros não terem noções de educação financeira e investimentos, a Taxa Selic está presente no dia a dia de todos os cidadãos. Ela é a responsável pelo poder de compra e investimento de cada concidadão e, por isso, a cada mudança anunciada, há grandes expectativas ao seu redor. 

 

A taxa foi criada no final dos anos 70, quando o Brasil passava por uma crise de hiperinflação. Como os preços subiam com muita frequência, a Taxa Selic foi feita para frear a inflação quando necessário. Assim, a economia continua rodando e o dinheiro circulando normalmente pelos vários setores financeiros. 

Como a Taxa Selic funciona?

A cada 45 dias, o Comitê de Política Monetária (COPOM) se reúne a fim de decidir os rumos do mercado financeiro do país. Então, analisando e considerando os altos e baixos da economia, além de diversos índices financeiros, a Taxa Selic é fixada.

 

A decisão tomada pelo COPOM varia de acordo com a necessidade do Brasil no momento da reunião. E, a partir dela, a taxa pode se manter fixa, aumentar ou diminuir, como vinha acontecendo desde 2015.

 

Com a diminuição da taxa básica de juros, o intuito é aquecer a economia. Afinal, com a queda das taxas, o consumo é estimulado, entretanto, isto também aumenta a inflação quando ela está abaixo da meta. Ou seja, os serviços e produtos terão um valor mais elevado.

 

Já o aumento da Taxa Selic serve para desacelerar a economia quando a inflação está alta. Assim, os preços tendem a diminuir ou se manter mais estáveis, controlando os altos níveis de inflação.

Aumento da Taxa Selic e o mercado imobiliário: é bom ou ruim?

No geral, ligamos as altas taxas da inflação a algo ruim e, no geral, é isso mesmo. Com a alta da inflação, todos os cidadãos pagam mais pelos serviços e produtos que consomem. 

 

Um grande exemplo está acontecendo atualmente. Os preços de itens básicos, como os de supermercado, estão cada vez maiores. Isso se deve à crise econômica ocasionada pelo coronavírus. Afinal, com a falta de movimentação da economia, a inflação foi se tornando cada vez mais elevada. 

 

Porém, para os investidores em fundos como a poupança, Tesouro Público, por exemplo, o aumento da taxa básica é ótimo! Uma vez que os rendimentos desses modelos de empreendimento estão atrelados aos juros da Taxa Selic. Sendo assim, quanto maior a porcentagem, maior a renda obtida.

 

Dessa forma, caso esteja investindo em um fundo externo para realizar a compra ou financiamento de seu imóvel, a partir de agora, as taxas darão mais lucro. Assim, será possível investir no mercado imobiliário de forma mais rápida, aliado às maiores taxas de crédito. 

 

E, de qualquer modo, é bom lembrar que, apesar do aumento, o percentual da Taxa Selic ainda se encontra baixo. E, assim, o impacto não será tão grande. Porém, alguns economistas apontam que haverá uma elevação acentuada da taxa básica de juros até o final do ano. Portanto, é bom estar preparado e, caso deseje, é melhor realizar seus financiamentos e empreendimentos imobiliários o quanto antes. 

O histórico da Taxa Selic

A última quarta-feira (17) foi um marco na história financeira brasileira, afinal, o último aumento da taxa básica de juros do país foi há quase 6 anos. 

 

No dia 29/04/2015, a Taxa Selic foi reajustada de 12,75% para 13,25% e seguiu em acréscimo até agosto de 2016, quando estava no valor de 14,25%. Dali em diante, o valor foi decaindo até chegar a marca de 2% em agosto de 2020, valor que se manteve até a penúltima reunião da COPOM, realizada em janeiro de 2021.

 

Com a queda vertiginosa, muitos economistas apontavam que, dificilmente, o valor permaneceria em declínio por mais tempo. Afinal, os preços inflacionados passaram a ser sentidos pela população, que apresentava (e ainda apresenta) um enorme descontentamento. 

 

Sendo assim, 2020 foi apontado como o ano para realizar negócios e fazer investimentos, afinal, as taxas de crédito estavam baixíssimas. A partir deste cenário, a Taxa Selic e o mercado imobiliário caminharam juntos, apresentando negócios favoráveis aos investidores.

 

E, apesar do presságio de aumento previsto para 2021, o conselho se seguiu, mostrando que o mercado imobiliário ainda seria uma boa opção. Porém, e agora? 

 

Veja em nosso próximo tópico se ainda vale a pena investir em um novo imóvel mesmo com o aumento da taxa básica de juros. Confira!

“Estava planejando comprar um imóvel. E agora, o que eu faço?”

Como você viu acima, os valores referentes à taxa básica de juros tiveram uma queda acentuada nos últimos anos. Sendo assim, um aumento de 0,75 na média, apesar de ser uma mudança brusca, ainda apresenta bons números no geral.

Infelizmente, as projeções apontam que haja um aumento ainda maior até o final do ano, podendo chegar em 4,5% até dezembro. Essa manobra é uma estratégia realizada para frear a inflação e retornar o poder de compra à mão do cidadão médio. 

De qualquer forma, ter uma Taxa Selic a 2,75% ainda proporciona uma boa perspectiva ao investidor do mercado imobiliário. Afinal, se a perspectiva prevê um acréscimo ainda maior, o ideal é aproveitar o menor valor possível para investir. 

 

Portanto, caso ainda esteja em dúvida sobre o que fazer com aquela quantia guardada, o momento é ideal para investir em imóveis! A Taxa Selic e o mercado imobiliário tem se mostrado grandes parceiros nos últimos meses, oferecendo oportunidades únicas aos investidores.

 

Se você deseja empreender seu dinheiro em um imóvel, mas não tem tempo para esperar longos anos até a entrega, confira a lista que preparamos clicando aqui: Confira 5 imóveis prontos para morar ainda em 2021.

 

Agora que você sabe qual a relação entre a Taxa Selic e o mercado imobiliário e como ela pode afetar seus investimentos daqui pra frente, não hesite em começar ou continuar seu patrimônio! Infelizmente, o momento não está tão favorável quanto antes, entretanto, investir em imóveis ainda é uma ótima alternativa.

 

 

Dessa forma, conte com quem oferece opções de empreendimentos de alto padrão com condições especiais e atendimento personalizado! A Apartamentos Rio possui imóveis em várias regiões do Rio, mas se concentra, especialmente, na região mais valorizada do Rio: a Zona Sul.

 

Continue em nosso blog/site e conheça os imóveis disponíveis para a compra. E, em caso de dúvidas ou interesse em algum empreendimento específico,informe seus dados e entraremos em contato ainda hoje!

 
 
 
 
Ana Paula Medeiros

Galeria

Assine nossa Newsletter

Mensagem enviada com sucesso.

loading...
carregando
Olá! Preencha os campos abaixo para iniciar a conversa no WhatsApp
Eu concordo em receber comunicações

Excelente, cadastro realizado.

Redirecionando para Whatsapp em 3

Caso não seja redirecionado automaticamente, clique abaixo

Ir para Whatsapp